Arquivos da categoria: Notícias do país

Desemprego

Programa de Proteção ao Emprego ou ao Patrão?

por CVM

O governo federal ensaia a Medida Provisória do chamado Programa de Proteção ao Emprego (PPE), onde o respeito do título à prática fica somente na aparência. Até então, as negociações indicam a possibilidade de que as empresas, em ditos tempos de crise, poderão reduzir a carga horária dos trabalhadores e, naturalmente e para a felicidade dos patrões, os salários.

As crises econômicas são características intrínsecas ao capitalismo, e quem historicamente paga por elas são os trabalhadores que tem (I) ou seus empregos cortados ou (II) redução de direitos através da flexibilização no emprego. O chamado Programa de Proteção ao Emprego nada mais é do que a sutil proteção ao patronado em detrimento das condições de trabalho e salário. leia mais

URGENTE: prisões mostram a verdadeira face da democracia burguesa

Na democracia burguesa a liberdade de manifestação é artigo para poucos. Não é para aqueles que não pactuam com as classe dominantes. As  prisões deflagradas pelo aparelho de repressão evidenciam o caráter de classe do Estado subjugado pelo Capital.  Lembrando a letra da canção de Cazuza, a classe trabalhadora e seus aliados não estão convidados para esta festa.
CVM

 

Polícia prende acusados de atos de vandalismo no Rio

                                                                                                                                        publicado em Extra

img

Suspeitos de praticar vandalismo foram presos na manhã deste sábado no Rio
Foto: Eliária Andrade

Marcos Nunes e Sara Paixão

A Polícia Civil deflagrou, neste sábado, uma operação para cumprir mandados de prisão temporária, expedidos pela 27ª Vara Criminal, contra acusados de promover atos de vandalismos durante manifestações realizadas no Rio de Janeiro. leia mais

image

Juntos na luta dos metroviários por salário, emprego e melhores condições de trabalho e transporte para o conjunto dos trabalhadores

NOTA do CVM: Em nome do Capital, o governo do Estado de SP reprimiu a greve dos trabalhadores metroviários com violência e com demissões. O CVM se solidariza com trabalhadores Metroviários de São Paulo, entendendo que esta é uma luta de toda a classe trabalhadora por melhores salários e por transporte público de qualidade. 

 

do Portal da Intersindical – instrumento de luta dos trabalhadores

São os milhões de trabalhadores da cidade de São Paulo que utilizam o transporte coletivo que só anda pelo esforço dos trabalhadores, não pelas ações do governo do PDSB.

Enquanto Alckmin e o PSDB não respondem sobre as graves denúncias de superfaturamento e formação de cartel para licitações que vêm desde a época do governo Covas, envolvendo multinacionais como Alstom, Siemens, Caf. entre outras, a população trabalhadora amarga o sucateamento dos já precários serviços públicos. leia mais

fogo na favela

O que está por trás de incêndios nas favelas de São Paulo?

Entrevista do jornalista Conrado Ferrato, um dos produtores do documentário Limpam com Fogo, para Carta Capital sobre especulação imobiliária, CPI dos incêndios e reurbanização.

 

Nos últimos 20 anos, mais de 1,2 mil incêndios foram registrados nas favelas da cidade de São Paulo, sendo que metade deles ocorreu entre 2008 e 2012. De acordo com o documentário Limpam com Fogo, produzido de forma independente pelos jornalistas César Vieira, Conrado Ferrato e Rafael Crespo, isso não é uma coincidência. Há, segundo a produção, uma relação próxima entre o boom imobiliário registrado em algumas regiões da maior cidade do País e o crescente número de incêndios.

Nesta entrevista, Conrado Ferrato, um dos produtores do filme, afirma que os incêndios respondem a uma lógica seletiva. O fogo beneficia determinadas empresas e tem como causa a contínua precarização das comunidades. Segundo Ferrato, os incêndios podem não ser deliberados, mas ocorrem por falta de ação do poder público. “Quando falamos que a especulação está por trás dos incêndios não estamos querendo dizer que construtoras e incorporadoras acenderam um fósforo, queimaram as favelas e construíram um prédio no lugar”, diz. “É algo mais sutil. Não se trata de tacar fogo, mas de deixar queimar”, afirma. leia mais